javascriptNotEnabled

Home \ Comunidade \ Blogs \

Maktub

Conceitos, jogadas & conversa fiada.
Enviar MP

Resolvi escrever sobre esse tema já que muitas das minhas conversas gira em torno dele e ainda não foi sugerido nenhum tema nos post anteriores.

A sua ação sempre deve ter como princípio fazer sentido em relação  ao range que coloca o  vilão e o range do vilão deva fazer sentido conforme as informações que possui.


Muitas vezes leio que o vilão não possui informação, todavia existem diversas informações exibidas nas mesmas mãos que leio o hero dizer que não tem info.


Consideramos informações desde as coisas mais singulares como o nível estelar (situações de jogos caros onde aparem chromestars, silver...) até informações que precisamos ver apenas uma vez como a live blind (postar a blind antes do big blind).


Para torneios também são consideradas informações como nível de blind, bolha do itm (in the money), bolha da ft (final table), como o blog é focado em cash game tendo muito mais a valorizar informações que mais vemos no cash game porém fica registrado a importância de todas as informações para mtt e sng.


Também consideramos informações interessantes, stack, número de mesas e conhecimento sobre o field (empírico), níveis de pensamento. Informações extremamente úteis como notas, showdowns vistos, linhas adotas, stats hud (cuidado com a amostra), gameflow.


Para a turma com pé em informática abaixo um fluxograma para colocar o vilão em range:

Definidas as informações podemos classificar o vilão (para ver a classificação que eu utilizo veja posts anterior nesse blog), e seguir para os ranges em que colocamos o vilão. Erro comum que vejo nos fórums são pessoas colocarem o vilão em um range e manter o range conforme mudam as ações.


Exemplo, colocamos o vilão em um range de open raise (o-range) e achamos que o nosso AQo é valor contra esse range, caso dermos uma 3bet por valor, estamos considerando o que range que continua (c-range) ainda está atrás do nosso AQo. Vejo pessoas pensarem no valor ao comparar com o "o-range" e não com o "c-range".


O c-range é composto do range que dá raise e do range que dá call, equanto que o o-range inclui ainda a parte do range que dá fold para a 3bet. Ao entender esse ponto eu passei a não gostar de controle de pote, pois se consegue controlar os ranges do vilões então é melhor aplicar esse conceito do que controle de pote, falarei disso em post futuros.
Caso seja não esteja tão familiarizado com o "o-range" e o "c-range" não se preocupe por hora vamos focar no fluxograma.


- RANGE STANDARD (range padrão)


IMPORTANTE: o range standard deve ser totalmente lógico.


Nesse ponto vamos considerar a lógico do range baseado na jogada, então se um vilão sem informação dá raise nopré-flop é lógico que ele possa ter AA, KK. Também é lógico pensar que ele não terá só isso no range, então vamos para a base do range.


Pensando em posição podemos deduzir que certos vilões não abrem todos os pares (exemplo utg em full ring) então devemos colocar a base do range do vilão e o topo do range do vilão, vamos a efeito de exemplo considerar que 66 seja a base do range, então o range do vilão em relação a pares ficaria:

Mais uma vez voltamos para a parte lógica.


Se o vilão abre 66 é lógico que ele também abra AK.... e assim por diante.


Range de call pré flop.


Esse é um range bem interessante de ser estudado, uma boa forma de montar o range standard é pensar em si mesmo. Veja se tu és um jogador tight ou loose e monte um range de call.


Exemplo:


Vilão do UTG abriu e eu tenho 88 no MP o que eu faço? R:Call
Vilão co MP abriu eu tenho 88 no BU o que eu faço? R: Call
Vilão do CO abriu eu tenho 88 no BB o que eu faço? R: Call


Logo é lógico considerarmos que o 88 está no range de call de todas as posições, e por ai vai.


- RANGE EMPÍRICO


Conforme joga em determinado limite irá observar situações que ocorrem com frequência e começa a alterar o range std para um range empírico, que utilizará no lugar do range standard.
Então se eu começo a ver que os vilões no SB contra o BU estão dando 3bet (re steal) com 88, passei a considerar que o 88 não mais está no range de call e sim no range de raise.


Aqui em limites baixos cabe algo importante, uma jogada de certa forma comum na nl2 é o limp / all in (shove) caso esteja jogando mesas no formato zoom, assista as mãos para poder fazer notas do vilão e melhorar o range empírico desse tipo de jogada.

Abaixo descrevo um pouco mais os três níveis que acabaram por atingir, lembrando que o não estamos falando de GTO ou merge de range.


INICIANTE - COLOCANDO EM RANGE


No jogo online onde o número de tells (já comentei que isso é supervalorizado em outro) é bem reduzido jogamos colocando o vilão em ranges e para isso é interessante saber combinações de cartas (assunto já tratado no link¹).


Então como colocar o vilão em um determinado range?


1º O range que coloca para o vilão deve fazer lógica, conforme cito sobre overthinking², caso o vilão não pense (level 0) só importa se a sua mão tem valor, pois não irá blefar tais jogadores;


2º Utilizará informações que tem do vilão (Notas, Hud);


-Possui informações sólidas do vilão.


Nesse caso é bem tranquilo conhecendo posição, frequência da ação etc.


Dica: utilize a calculadora de odds da intelipoker e conceito de combinações para determinar um range mais preciso caso através das porcentagens apresentadas no hud.
Conhece a tendência do vilão mas não possui informações sólidas.


Comece se conhecendo, tu sabe o range que tem em determinado spot e basta você se classificar.


Exemplo, eu acho que sou tight, um vilão abre do EP e eu dou call do CO com que mãos eu daria esse call?


Após se conhecer basta expandir a ideia pro vilão.


Então se eu dou call de 88~JJ e AQs, e o vilão é tight é provavel que ele possua o mesmo range. Continue a partir daí a sua analise...


O vilão é loose, devo então, abrir mais o range...


3º Não tendo informações válidas do vilão poderá fazer o exercício por:


Não possuo nenhuma informação do vilão.


Lembrando que stack, live blind (postar o blind antes do bb), número de mesas, são todas informações válidas.


Como devo proceder?


1 - Lógico


Utilize um range lógico e tight para a posição e ação que o vilão está tomando, especialmente em limites onde a defesa de blind é realizada de forma passiva (NL2) deixe o range de 3bet mais tight ao não ter informação.


2 - Empírico


Utilize o que range que mais vê com maior frequência para determinada ação considerando o limite que esta jogando.


Exemplo da cold 4bet (NL2).


Você abre raise, um vilão te three bet e outro vilão que não está envolvido (cold) decide dar mais um raise (4bet), qual range mais é visto nessa situação KK+ (KK e AA).
Algo que sempre digo, a sua ação deve obrigatoriamente fazer sentido ao considerar o range do vilão.


Isso vai diferenciar você jogar colocando o vilão em range e jogar a sua mão.
Exemplo, estamos com QQ, e decidimos dar raise do EP, o MP opta por dar uma 3bet, CO e Botão dão fold e a ação chega no SB.


SB um jogador bem lag decide dar um 4bet e pela informação que você já tem do SB decide que vai ir all in.


O BB decide pelo shove e a ação voltem você.


Pergunta 1 - Qual o range que você dá para o BB?
Pergunta 2 - Qual ação você vai tomar?


Se coloca o range do BB como sendo extremamente forte (KK+) e mesmo assim decide pelo call, basicamente esta a jogar a sua mão, pois contra o range que coloca o vilão não faz nenhum sentido.


Eu li no seu post, dei fold e o vilão apresentou ATo.


Agora já temos uma informação do vilão, devemos fazer uma nota, e na próxima oportunidade incluir mãos assim no range com base nesse range mais uma vez tomar uma ação lógica.


INTERMEDIÁRIO - PARTINDO EM RANGES MENORES


Começaremos agora a pensar um pouco a frente e utilizaremos uma lei absoluta: nenhuma mão que não estava no range inicial pode constar nos novos ranges e nenhuma mão que eu retire do range eu posso colocar de volta.


Entendendo essa regra


Estamos jogando full ring hero decide dar open raise no EP e o vilão tight do EP+1 decide dar call.


Pelo vilão ser tight vamos considerar o range abaixo:

Todos os demais jogadores dão fold.


FLOP vem 235.


Qual a chance do vilão ter um set?


É nula a chance do vilão ter um set nesse board, justamente por não termos colocado baby pairs no range do vilão pré flop, eles não podem surgir no range dele no pós flop.


Mais um vez, o herói acaba por ver o showdown e o vilão apresenta 22, alterar o range do vilão e nesse caso específico alterar inclusive a classificação que tem do vilão.


Entendido a regra vamos partir para a subdivisão de ranges e como utilizar.


Hero AK open raise, vilão call.


Flop: K53 rainbow - hero cbet, vilão call


Turn: 7 dando uma pedida de flush - hero doble barrel, vilão raise, hero?


Sem comentar o teorema de baluga nem nada do tipo apenas pensando em range.


Ao perguntar vejo muita gente dizer que o vilão pode fazer esse raise com KQ (8 combos), todavia, quando eu pergunto "ao dar o segundo tiro espera receber call do que?" surpreendentemente a pessoa responde KQ,KJ, KT...


Se o KQ está no range de raise do vilão então ele não deve fazer parte do range de call do vilão.


Então podemos pegar o range atual do vilão e dividir ele em 3 partes, fold, call e raise.
Com base nisso partimos para o pensar a frente.


Imagine que o Hero no SB tenha AQs e o vilão tight do CO decide por dar raise, botão fold e a ação chega no hero.


O vilão é tight então temos ranges parecidos, não vou deixar imagem mas façam o exercício utilizando o seu range.


Muitos dos casos o hero decide por dar uma 3bet (ainda não falei sobre tipos de apostas mas aqui vai o básico) e o faz por valor, afinal tem AQs contra o range de Steal do CO.


Só esquecem que ao dar a 3bet o range do vilão vai ser dividido em três partes, uma parte que ele dá a 4bet, uma parte que ele folda e uma parte que ele dá call.


Efetivamente para ser uma 3bet por valor o range de call do vilão tem menos equidade que a mão do herói, então a pergunta que fica para quem está seguindo o exercício é, AQs está ganhando do seu range de call?


Para achar essa resposta coloque o seu range de call na 3bet e avalie contra AQs, utilizem muito a cálculadora de odds para encontrar respostas dessas situações.


Observe que não estou questionando se a 3bet é boa ou ruim (ev positivo ou ev negativo), já que foi mostrado em outro post² a diferença de EV que os blockers fazem na 3bet.


INTERMEDIÁRIO 2 - PESO NOS RANGES


Como no exemplo do raise turn citado acima podemos sim incluir KQ tanto no range de call como no range de raise, para isso utilizaremos combos ver link¹.


Então como o turn trouxe uma pedida de flush podemos sim incluir o KQ do flush no range de raise (1 combo) e deixar os outros no range de call (7 combos).


Isso torna as coisas um pouco mais complexas porém com dedicação e estudos fora da mesa é possível identificar esses spots com mais facilidade.


Ao utilizar um tracker é possivel identificar com mais facilidade essa quebra, também possível observando as mãos e fazendo anotação exemplo:


Vilão que 3beta com todos os AK, vilões que 3betam AKo e dão call de AKs.


Embora esse assunto possa chegar a grande complexidade (estudo de GTO) vou escrever os próximos artigos sobre matemática e/ou trackers para depois voltar a falar de range.


Críticas, sugestões, temas e comentários podem ser enviados por mensagem privada ou deixado nos comentários.


Bom jogo a todos!

¹:https://www.intelipoker.com/blogs/Beersomelier/matematica-do-poker-parte-1

²:https://www.intelipoker.com/blogs/Beersomelier/classificando-um-jogador-parte-2-evitando-overthinking

Para fazer um comentário, você precisa realizar seu login ou se registrar.
Fazer o Quiz
Novo por aqui? Faça nossa Avaliação de Poker para iniciar o seu aprendizado.
já é um membro? Fazer Login
javascriptNotEnabled
Aprenda Estratégias básicas até avançadas
Pratique Melhore suas habilidades com os nossos Instrutores
Ganhe! Se estabelecer como um jogador ganhador