javascriptNotEnabled

Home \ Comunidade \ Blogs \

Maktub

Conceitos, jogadas & conversa fiada.
Enviar MP

Excelente dia a todos!

É provável que boa parte dos leitores já estejam cansados de lerem sobre ranges nesse blog, ou talvez não. Porém, mais uma vez vejo a importância de escrever sobre isso!


Primeiramente, irei esclarecer algumas nomenclaturas que usarei em posts futuros, portanto, peço para leiam com bastante atenção.


O que é range?


Range no poker é o conjunto de possíveis mãos em determinada situação. Ou seja, o leque de mãos que o adversário possui em uma situação específica.


Classificando o range


Para esse texto irei utilizar apenas três classificações, são elas: range forte; range médio; e range fraco.


Há como usar mais classificações, como uma abaixo do franco, que seria o “puro air”. Ou uma acima do forte, que seria o “nuts”. Entretanto, manterei apenas esses3 ranges.


A classificação do range é dada pelo fator humano, vamos pegar um exemplo:

No range QQ+ muitos irão dizer que é um range forte, ou que é extremamente forte. Porém, em algumas situações há jogador que fold QQ préflop, certo?


Isso quer dizer que para esse jogador o QQ é fraco para aquela determinada situação. Sendo assim, não vou fixar o que eu considero forte ou não, mas peço para o que o leitor mantenha a mente aberta e pense livremente no seu range e no range do vilão.

Range fraco/weak range


Essa é a parte do range que não irá apresentar grande resistência para REAÇÕES do vilão. Afinal, não há dificuldade em desligar e tende a não te colocar em situações difíceis.


Range forte, strong range ou range nitty


Essa é a parte do range que irá apresentar grande resistência para as reações do vilão. Afinal, muitas vezes você se verá obrigado a fold o topo do seu range. Logo, você se pergunta: “Se eu fold isso com o que eu continuarei?” Lembre-se que poker é um jogo que envolve disciplina e tem vezes que você deve se desprender até mesmo do topo do seu range.


Range médio,medium range, range condensado ou condensed range


É a parte do range que às vezes resiste e às vezes desiste. É muito dependente de outros fatores, desde o oponente que o hero está enfrentando, até mesmo blocker e etc.
Os três tipos de ranges tendem a se tornarem a nossa mão face up em diversas situações, o que torna nosso jogo - para determinados vilões - previsível.

Três exemplos que tendemos a utilizar ranges assim


Range weak: vilão do sb dá limp e o hero está no BB e decide pelo checkbehind. Essa situação, normalmente, tira de nosso range a parte forte – e boa parte do range médio – que daríamos raise tornando o range do hero um range fraco. Vale ressaltar que estamos tratando apenas do range do hero em uma situação global.


Range médio: vilão do EP decide dá open raise e o hero no MP decide dar call; vilão do SB dá squeeze; vilão do EP dá fold e o hero decide dar call. Essa situação, embora pouco comum, normalmente deixa o range do hero com mãos medianas, as quais são fortes o suficientes para defender dois ataques, entretanto, fracas para atacar.


Range forte: vilão supertight dá open raise do EP e o hero do MP decide por uma 3bet. Ainda há a mesa inteira para falar. Além disso, o vilão que abriu já tem um range muito forte. Portanto, nessa situação o hero frequentemente tem um range extremamente forte.
Até aqui tudo muito fácil então vamos dificultar um pouco as coisas, ok?


Normalmente utilizamos pelo menos duas partes do range, permitindo assim balancear ou não. Todavia, não falarei sobre balanceamento, apenas entenda os termos que virão.

Range polarizado


Nesse caso o range é composto pela parte forte e pela parte fraca, excluindo assim a parte média do range. Ou seja, Top andBotton.


Range linear


Aqui o range é composto pela parte forte e pela parte média, excluindo a parte fraca.


Range Capado


Range composto pela parte média e pela parte fraca, excluindo a parte forte.
Essas combinações de ranges tornam a nossa mão mais escondida para a leitura do vilão e vice-versa.


Merge de ranges


Essa situação é quando temos todas as três partes do range, tanto a parte fraca, como média e como a parte forte.


Abaixo a imagem de como ficam as classificações:

Agora vamos entender como usar essas informações ao nosso favor, afinal, apenas saber o termo não melhora nossa lucratividade.


A ideia básica na utilização é fugir do range do vilão. Por exemplo: se o vilão é um nittypré-flop, diversas das mãos que consideramos forte em outras situações passam a ser consideradas médias. As mãos fracas, portanto, perdem jogabilidade, visto que tendemos a ter pouca foldequity no pós flop.


Aplicando a ideia de fugir do range do vilão,utilizaremos mãos que não estão no range dele para nos defender, por exemplo:


Vilão supernitty abre com um range assim:

Mãos como KQs tem sua jogabilidade extremamente reduzida visto a boa chance de você acertar uma mão e ainda assim não ser suficiente para o vilão. Ou seja, vamos errar muitas vezes e quando acertar poderemos entrar numa situação de Reverse Implied Odds.


No entanto, mãos como 87s, 76s, baby pairs 77- se tornam bem atrativas, pois quando acerta o flop o vilão erra completamente e quando ele acerta o flop (não que ele precise com esse range) você não tem nenhuma dúvida do que fazer.


Então contra um range forte é melhor defender com um range médio e fraco? Normalmente, sim!Visto que o nosso range forte tem grande frequência de Reverse, enquanto o range fraca possuem mãos que fogem do range do vilão e facilitam nossa vida pós flop e dificulta a dele.

Outro exemplo.


Vilão defende contra a 3bet com range condensado de call e range forte de 4bet. Portanto, pode-se concluir que o range do vilão é médio.


Sabendo disso, a nossa melhor escolha é atacar com um range polarizado. Assim, quando erramos um flop alto, podemos representar uma mão forte, e quando acertamos um flop baixo, estamos tranquilo. Todavia, os flops médios não deixam dúvidas com a parte fraca de nosso range, pois sabemos que acertou orange do vilão.


Devido à forma como as pessoas defendem e atacam modificamos os nossos ranges e isso gera situações comuns, como 3betar o EP com range polarizado, 3betar do SB contra LP com range linear e etc. Porém, isso não deve ser tomado como regra. Sempre analise o range e o modo que o vilão defende para decidir qual tipo de range irá usar na situação.


Lembrando que no micro limite em diversas situações não precisa se preocupar em esconder seu jogo, muitas vezes jogar de forma face up é bem lucrativo. Já em limites mais altos é bem deficitária, pois você precisará balancear. Por isso avalie a situação como um todo e pense, pense, pense... e pense!!!


OBS: o termo “capar o range” é utilizado quando o range se torna mais linear, diferente do que escrevo no texto, onde o capped range é um range sem o nuts.

Para fazer um comentário, você precisa realizar seu login ou se registrar.
Fazer o Quiz
Novo por aqui? Faça nossa Avaliação de Poker para iniciar o seu aprendizado.
já é um membro? Fazer Login
javascriptNotEnabled
Aprenda Estratégias básicas até avançadas
Pratique Melhore suas habilidades com os nossos Instrutores
Ganhe! Se estabelecer como um jogador ganhador