javascriptNotEnabled

Home \ Comunidade \ Blogs \

Downswing

Conceitos matemáticos; Ênfase em Omaha; no geral, cash game!
Enviar MP
/Dez/05

POT LIMIT OMAHA - TURN E RIVER

Por: texasflood2 @ 03:04 (-02) / 415 / Comentário ( 1 )

Mantendo a sequência lógica sobre os conceitos de PLO, esse artigo irá abordar as últimas duas streets: turn e river.


TURN – COMO JOGAR:

 


Essa é uma street onde mais “se determina” a mão – já que 80% do board está visível – do que “se busca” outs. Basicamente, ao comparar o flop com o turn, o primeiro diz onde se pode chegar. Já o segundo, se vale a pena aonde se quer chegar.


É muito importante saber que nessa street será muito explorado o erro dos oponentes.


Através do bet, o hero fará com que os nossos adversários paguem – sem odds – por draws underfulls (artigo sobre Reverse Implied Odds). Afinal, aqui ele terá duas vantagens na mão: a primeira é que, vide os artigos anteriores, ele estará buscando draws nuts na maioria dos cenários. Com isso, ao hit, colocará o vilão numa situação de reverse e obterá maior lucro possível. A segunda é que, ao jogar um determinado volume de mãos em PLO, tu perceberá que o range que chega ao river acaba sendo mais “faced up” que o Texas. Logo, poderá bet o river com missed draws muitas vezes. Porém, escreverei outro artigo abordando especificamente floats e missed draws.


De qualquer maneira, a ferramenta mais útil em todo arsenal no turn será, sem sombra dúvidas, o “bet/fold” – principalmente em posição.


BET/FOLD:


Essa jogada é extremamente lucrativa por uma série de fatores:
Consegue-se capitalizar mais a mão: o pote pré-flop + flop já está num tamanho relativamente bom. Ao bet turn e o vilão fold, capitaliza-se a mão.


Faz-se fold equidades próximas: acredite se quiser, entretanto, no Omaha, há vezes em que se está ganhando no turn, todavia, é mais lucrativo para o hero que o vilão fold do que o call. Isso ocorre porque, como o jogo é pot limit, ao enfrentar um size pot, o vilão terá 33% de pot odds. Porém, haverá vezes que o número de outs dele superará 15, logo, a equidade será maior que as odds, tornando o call dele +ev, lucrativo.


Ex:
Blinds $0.5/$1.00 6-max. Hero abre $3.00 do CO com . Vilão defende o BB. O flop traz: . Hero aposta $4.50; Vilão paga. O turn ($15.50) traz: . Aqui a melhor linha, na maioria das vezes, será o bet/fold. O Hero então bet $12.00 e o vilão fold.


Suponha que o vilão tenha uma mão tipo: . Logo, ele terá, contra a mão do hero, especificadamente: (9)c (3)A (3)K (1)3 = 16 outs; segundo o ProPokerTools, 40% de equidade. Ele tem que investir $12.00 para concorrer a um pote final de $39.50, ou seja, 30% de odds. Portanto, a equidade > pot odds, logo o call é +ev. Sendo assim, esse é um exemplo onde o Hero lucra mais quando o vilão fold do que quando ele dá call. 


Fica-se menos vulnerável no river: nesse caso, o hero estará “apostando por proteção”. Sei que muitos jogadores de Texas vão contestar e afirmar que existe apenas aposta por valor ou por blefe. No entanto, se deve lembrar que o Omaha é um jogo de equidades similares, logo, o vilão acerta muito mais rivers do que no Texas. Portanto, precisa-se constantemente proteger a mão de rivers desconfortáveis. Logo, ao bet/fold turn e o vilão pagar, o hero conseguirá – muitas vezes – dar check behind em rivers totalmente desconfortáveis onde se têm um valor de showdown.


Ex: Vou pegar a mesma mão acima, todavia, peço que desconsiderem a mão anterior do vilão.

Blinds $0.5/$1.00 6-max. Hero abre $3.00 do CO com . Vilão defende o BB. O flop traz: . Hero aposta $4.50; Vilão paga. O turn ($15.50) traz: . Hero?!


Aqui a melhor linha, novamente, será o bet/fold. Afinal, se o vilão der raise, será, basicamente, straight. Além disso, ao dar check, os seguintes rivers serão ruins: (9)c (7)s (3)T (2)8 (2)6 (2)5 (2)4 (2)3; ou seja, 29 cartas colocará o hero numa situação desconfortável perante um bet. Porém, betando o turn, ele conseguirá dar check behind no river, por valor de showdown, boa parte das vezes.

 

BLUFF CATCHER


Outro cenário que é muito importante abordar, principalmente ao jogar fora de posição, são mãos razoavelmente fortes, porém, não nuts, em cenários onde poucos rivers serão ruins. Na maioria dos casos, será mais interessante jogar essas mãos como bluff catcher. Isso evitará muitas situações difíceis.


Ex:
Blinds $0.25/$0.50 Blind War. Hero abre $1.50 com ; vilão paga. O flop traz: . Hero cbet $2.00; Vilão calls. O turn traz um .


Nesse caso é diferente do exemplo citado anteriormente. Com exceção das dobras (10 outs), nenhum river é ruim para tal mão. Afinal, se o vilão tiver um flush maior, o hero já estará drawing dead. Além disso, ao betar o turn, ele poderá tomar raise do “A careca” e ter que acabar fold a mão vencedora. Portanto, aqui o melhor cenário é jogar de check/call turn e check/call river. Com isso, além de pegar blefes, induzirá o vilão a betar flush inferiores que iriam desistir para bet/bet. Basicamente, se perde menos em situações dominadas e maximiza o lucro em situações que domina.

 

DONK BET TURN:


É interessante frisar que essa é uma jogada bem forte em PLO. As vantagens dessa linha é que se toma as rédeas da situação. Além disso, pode-se expulsar o vilão do pote em spots que ele daria check behind para realizar a equidade dele, ou até mesmo cobrar por outs ruins.
Basicamente, o hero irá donkbet o turn quando tiver: um wrap; nuts; set+flush draw; wrap+flush; ou seja, mãos que, mesmo ao tomar raise, tenha equidade suficiente para dar call. O que tem que ser evitado é DB com air total.


O legal de lead com draws fortes é que o river acaba sendo uma street bem matemática e bem faced up. Então o hero poderá, ao realizar seu draw no river, adotar o check-raise, já que ao dar check representa “medo” do draw.


Ex:
Hero possui e defende o BB vs um raise do BTN. O flop traz: e a ação é check call. O turn traz: . O hero nesse instante donk bet, afinal, se ele tomar raise, provavelmente entrará num freeroll (ler artigo sobre o Flop). Além disso, caso o vilão dê call e o river trouxer um , por exemplo, o hero poderá jogar de check-raise.


Outro ponto importante é sempre questionar qual linha é mais lucrativa: donk bet ou check-raise? Caso o vilão seja passivo, a primeira escolha é melhor. Caso o vilão seja agressivo, a segunda linha é melhor. Entretanto, tem que ponderar com os casos onde – ao se estar nuts – mesmo o vilão sendo agressivo, ele irá fold para check-raise. Nesse cenário, pode ser que donk bet turn e bet river sejam mais lucrativo.

 

Cuidado – ao jogar o turn fora de posição – pagar apostas altas com draws secos, por exemplo, apenas flush draw. O Omaha é um jogo de draws onde se pode ter no turn até 30 outs. Portanto, evite pagar por 7 outs, já que as dobras o coloca numa situação de reverse. Busque defesa, combos draws!

 

O RIVER – COMO JOGAR:


No river ocorre a definição do jogo. Sem dúvidas, é uma street extremamente matemática e que contém muitas jogadas polarizadas, já que o bet river será, quase sempre, nuts; seminuts; e missed draws. Afinal, é no river que se sabe o que pode ter assustado o vilão. Por isso a posição é tão importante.


As apostas serão por valor ou por blefe, simplesmente. E o que determinará isso, será basicamente ranges. Além disso, fora de posição, evite calls muito light sem informações ou sem uma lógica bem fundamentada, principalmente no início.


Em artigos futuros, principalmente quando eu abordar size e ranges, voltarei a falar com profundidade sobre o river, principalmente sobre Thin Value Bets.

Para fazer um comentário, você precisa realizar seu login ou se registrar.
Fazer o Quiz
Novo por aqui? Faça nossa Avaliação de Poker para iniciar o seu aprendizado.
já é um membro? Fazer Login
javascriptNotEnabled
Aprenda Estratégias básicas até avançadas
Pratique Melhore suas habilidades com os nossos Instrutores
Ganhe! Se estabelecer como um jogador ganhador